Reporter Catolico/

Igreja ideal, Igreja urubu!

-7

Você já parou para pensar qual é a sua maneira de ser Igreja? Você vive em comunidade, cumprindo o pedido de Jesus Cristo? Você faz algum gesto concreto para ajudar a sua Igreja a crescer? Você se opõe às investidas que vêm de fora tentando destruir a nossa fé? Ou se junta aos agressores, sonhando em derrubar a Igreja pelo lado de dentro? Perguntas essenciais para reavaliar a nossa caminhada cristã!

Igreja Missionária, Igreja dos Pobres, Igreja Samaritana, Igreja de Irmãos, Igreja de Jesus! Essas ideias se opõem fortemente à igreja da opulência, à igreja dos panos, à igreja do moralismo barato, à igreja perseguidora e à igreja dos carrascos. A Igreja, Esposa de Jesus, é aquela que continua o Redentor na humanidade.

Várias foram as metáforas para representar as formas de ser Igreja. Mas, hoje, pensando bem, gostaria de propor mais uma comparação que nos ajudará a avaliar que Igreja cada um de nós está sendo no mundo.

Olhando para alguns animais, por exemplo, e tomando como base a sua forma de existir na natureza, diria que podemos ser Igreja-Barata, Igreja-Ovelha ou Igreja-Urubu. O que vem a ser isso? Vamos falar sobre elas!

A Igreja-Barata é aquela que está por toda a parte, aos milhões. No entanto, faz muito pouco pela humanidade, trazendo muito mais doenças e repulsa do que benefícios às pessoas. Ela é conhecida de todos, isso é indubitável. No entanto, por ser sempre relacionada a uma forma de vida que não atrai ninguém, a não ser seus predadores, essa maneira de ser Igreja pode enfraquecer a mensagem do Evangelho.

Se todos começarem a pensar que a Igreja é nojenta e que somente traz prejuízos à humanidade, a mensagem do Evangelho será dificultada. Sem contar o fato de que, a todo o momento, haverá alguém querendo esmagar esta Igreja-Barata.

A Igreja-Ovelha também tem seus problemas insuperáveis. O pensamento de ser um rebanho já é bem antigo, e nos lábios de Jesus fazia muito sentido para os seus ouvintes. Hoje, a maioria nem sabe como é a criação de ovelhas! Ser uma Igreja-Ovelha é estar sempre protegida por um Bom Pastor, e isso já acontece.

No entanto, as ovelhas são muito frágeis, mesmo sendo úteis à humanidade. É sabido que a lã, o leite e a carne são benefícios para a humanidade, mas há sempre a instabilidade.

São facilmente enganadas por falsos pastores. Sempre estão de acordo com tudo, e não pensam por si mesmas. Ser Igreja dessa forma, hoje, é ser motivo de risos para os que nos ouvem. Nós queremos ser levados a sério, pois o Evangelho de Jesus é uma verdade muito séria. Não queremos que os demais nos vejam como supersticiosos e infantis.

E eis a Igreja que se aproxima mais do ideal: a Igreja-Urubu. O nome pode assustar, à primeira vista, mas isso só prova que sabemos muito pouco sobre esse animal encantador! O Urubu faz um dos maiores trabalhos em benefício da humanidade, limpando o nosso planeta da sujeira e das doenças. E faz isso sem querer aplausos e holofotes! O urubu observa de longe, antes de tomar alguma decisão.

É uma Igreja que não atrapalha a vida de ninguém, mas age como fermento na massa, fazendo que as coisas estejam maravilhosas sem querer os créditos todos para si. Assim deveria ser a nossa Igreja: observadora e prudente; responsável pela limpeza da humanidade; fazendo sempre o bem, mas nunca se colocando na frente daquele que realmente importa: Jesus Cristo.

O urubu não atrapalha a humanidade, mas luta a cada dia para vencer as sujeiras e as podridões presentes nela! Sejamos Igreja-Urubu, trabalhando sempre para que a humanidade esteja limpa e cheirosa para receber a mensagem de Salvação de Nosso Senhor Jesus Cristo!

 

Padre Queimado articulista colunista

Contador de Cliques

Compartilhe!